quarta-feira, maio 02, 2007

Teuria dus Numaros

Estão a ver aqui este pikeno? Aqui ao lado, sim! Este belo animal! Pois é mais um no "numaro" de animais a abater por ataque a um ser humano...isto é, ainda não se decidiu...mas é o mais certo!

As características dele são:
Doberman
Doberman
© Animalactors
Wallpaper | Postal
Cão de origem germânica, de trabalho e de grande porte.
Também foi utilizado como cão de guerra.

Animal de grande agilidade, mordida poderosa, e sempre atento. A sua estrutura aerodinâmica permite-lhe atingir grande velocidade e transpor obstáculos com grande facilidade.

Para manter uma boa relação com este cão, o dono precisa de estar permanentemente a lembrar ao animal que quem manda é ele.

As fêmeas tendem a ser mais pacificas, enquanto os machos tendem a ser mais agressivos. Mas, como em todas as raças, mais do que a genética, é o dono que molda a atitude do cão, não sendo de estranhar encontrar Doberman pacíficos e extremamente disciplinados.

Muito territorial, quer com pessoas, quer com outros cães, sejam eles da mesma raça, maiores ou mais pequenos. Muito corajoso.

Dá para perceber que não é um cão qualquer!
Mas pensemos melhor! Qualquer cão, mesmo os mais insignificantemente pequenos, têm a sua origem em que animal? Exactamente. No lobo. Por isso devemos ter respeito por qualquer tipo de cão. E nunca devemos dizer "ai ele é mansinho e não morde!". Até mesmo a minha cadela, uma insignificante caniche com 10 kg de peso...quando vem cá a casa alguém que ela não conhece e não lhe faz uma festa na cabeça, como quem diz "olá, eu sou amigo e gosto de ti!" (mas isto tem que ser feito com convicçao...porque ela percebe se um humano gosta dela ou não...de estúpida não tem nada!), a fulaninha vai por trás das pessoas e morde-lhe (com aqueles dentitos aguçados) as canelas...o melhor mesmo é trazer sempre uma calça de ganga rijinha ou então...render-se aos encantos do animal!
Devemos ter sempre presente que um cão é um animal, irracional, e que por esse facto, como é do conhecimento geral, não pensa. Por isso quando é obrigado a fazer algo que contraria aquilo para que está preparado só tem uma alternativa: ATACAR. O que é uma coisa que muitos humanos gostariam de fazer mas que, uma vez que pensam (?), não o fazem! Quer dizer, andam por aí umas espécies que fazem parte duma estirpe degenerada e que ataca sem qualquer tipo de preconceito...agora vou dizer uma coisa muito horrível mas vou dizê-la na mesma...esses é que deviam ser abatidos!!!
Lamento muito, mas mesmo muito, todas as pessoas que já foram atacadas por cães, e muitas delas perderam a vida...crianças...o que torna a "coisa" ainda mais grave para a perspectiva do animal...

Eu não sou criadora de cães, e, por isso, se eu disser algum disparate, agradeço que me corrijam, ok?
Não deveria a culpa do ataque ser imputada ao dono do animal? O dono do animal é o principal responsável por qualquer acção que ele pratique. Se um cão de grande porte está solto no quintal e se aproxima alguém por fora da casa fora, a reacção do animal é ladrar uma vez que não conhece a pessoa. Ora, se alguém se aproxima, dentro do quintal, para agarrar no cão, mesmo que o cão conheça há anos, mas que não o seu dono, e estando o cão num estado de fúria latente...é óbvio que ele vai atacar. É horrível, claro. Mas na ausência do dono, o cão deveria estar preso.
O problema aqui acho que reside na forma como a nossa sociedade vê os cães. Já Ghandi dizia que "o nível moral duma sociedade mede-se pela forma como ela trata os seus animais"...e nós, portugueses, tratamos tão mal os nossos cães...ou servem de campaínha, e estão presos com uma coleira uma vida inteira; ou servem de bibelot, e muitas vezes são abandonados porque dão despesa; ou servem para transmitir uma virilidade prepotente, e são treinados para mostrarem o que valem, ou...sei lá...tudo menos tratá-los como companheiros e fiéis amigos que são!
Não é preciso ir muito longe para ver alguém que não se importa e não lhe mete nojo a presença canina: os espanhóis! Lá nisso estão anos-luz à nossa frente...já para não falar nos nórdicos...
No ano passado estive em Barcelona e reparei que quase toda a gente que tem um cão pikeno entra com ele em qualquer estabelecimento comercial...fiquei maravilhada! Bem, na Noruega os cães podem acompanhar os seus donos nos transportes públicos! "Nós por cá!" também...mas só as pessoas invisuais.
Mas não comparemos culturas, certo? Quantos portugueses têm cães em casa, no quintal ou no jardim, sem estarem vacinados? Devem ser muitos...pooooor isso é que a legislação não é a favor dos pobrezinhos!

Mas quem é que tem a culpa? OS DONOS!
E não digo mais nada...mas tratem bem os vossos animais, se os tiverem! E não os deixem à solta quando não estiverem em casa! Eles apenas obedecem a quem os criou e ensinou!
Uauf! Uauf! isto é, Boa Noite!

4 comentários:

Sizandro disse...

A culpa é do dono. Está na lei. E, se ainda há leis neste país a serem cumpridas, o dono deve ser punido. Mas isso não invalida que o cão tenha pena de morte. E vai ser abatido porque simplesmente cumpriu bem a missão que lhe era exigida e para a qual provavelmente foi criado e incentivado.
É um pouco como a sociedade. A competência é sempre usada nos discursos, mas quando há problemas a corda parte do lado mais fraco e o incompetente do chefe passa de fininho equanto que a arraia miuda, mesmo cunmprindo a sua função, tem sempre um lugar reservado no corredor da morte.

Range-o-dente disse...

"a fulaninha vai por trás das pessoas e morde-lhe (com aqueles dentitos aguçados) as canelas...o melhor mesmo é trazer sempre uma calça de ganga rijinha"

Mas é basta que se fechem os olhos a este tipo de comportamento que, com um cão mais corpulento, leva a coisa para o campo da roleta russa.

Claro que incentivar este comportamento deixa a coisa a um passo da desgraça, mão não é preciso tanto.

O cão vê o dono (e as pessoas em geral) como outro cão. Alternativamente vê-os como alimento, mas são casos muito raros.

No mundo dos cães tudo é hierarquia. Ou eles ocupam um lugar acima , ou ocupam abaixo (a decisão é deles muito embora possa e deva ser orientada pelo dono). Se a pessoa ocupar um lugar acima, o cão achandra-se. Se ocupar abaixo, o cão mostra-se agressivo.

Quando os donos toleram que o cão resmungue a estranhos, toleram que ele decida que essas pessoas ocupam um lugar inferior na hierarquia deles. Caso isto se passe com um cão possante, um estranho é um invasor intolerável (invasão + posição inferior na cadeia hierárquica) e, portanto, potencial alvo de ataque correctivo. Se esse cão for suficientemente possante para causar dano, ou o alvo suficientemente fraco, a coisa fica preta (daí bébés serem frequentes vítimas - eu próprio fui-o).

Se o cão tiver fome e/ou estiver entre outros cães, a coisa pode ficar ainda bem mais negra e o invasor pode tornar-se alimento.

Não tenho cães, mas qualquer profissional da coisa sabe que é assim, e explica melhor.

[este "word verification" é um chato]

XandraFrô disse...

Meu caro senhor, não sei quem é mas..chato é apelido! Mas tudo bem! Venham as criticas que é com elas que nós aprendemos! Siga para bingo!
En guarde!!! Touché!!!

Range-o-dente disse...

Digamos que me tenho especializado em absurdos de todo o tipo.