quinta-feira, maio 10, 2007

Não há palavras caras-Desobediência civil

Muito gosto eu de lançar temas das minhas aulas de filosofia. O que é bom pois o range-o-dente e o baldassare seguem a deixa e quase que morrem a replicar...

Desobediência civil é infringir as leis, sem prejudicar ninguém, em defesa de uma causa e estar preparado e disposto a sofrer as devidas consequências que provirem desse acto.
Temos como dois exemplos bem conhecidos, Martin Luther King e Mahatma Ghandi.
Para focar o primeiro exemplo, vou especificar quem ele era:

"King nasceu em Atlanta, filho de Martin Luther King (pai) e Alberta Williams King. (Registros de nascimentos para Martin Luther King Junior confirmam seu nome como sendo Michael). King se graduou no Morehouse College, em 1948, com um bacharelado em sociologia. No Morehouse, King foi mentorado por Benjamin Mays, um ativista dos direitos civis. Em 1951 viria a formar-se no Seminário Teológico Crozer, em Chester, Pensilvânia. Em 1955 recebeu um PhD em Teologia Sistemática pela Universidade de Boston. Por essa razão, muitos se referem à ele como Doutor Martin Luther King.
Pertencente à Igreja Batista, tornou-se um dos mais importantes líderes do ativismo pelos direitos civis (para negros e mulheres, principalmente) nos Estados Unidos e no mundo, através de uma campanha de não-violência e de amor para com o próximo. Se tornou a pessoa mais jovem a receber o Prêmio Nobel da Paz em 1964, pouco antes de seu assassinato."
in Wikipédia
Peço desculpa pelo brasileiro...
Martin Luther King organizou manifestações pacíficas ilegais contra a desigualdade de direitos entre raças e sexos... Infelizmente existiam pessoas (tal como as há agora) que acharam que ele andava a falar de mais e foi o que se viu...
Existiu um caso destes em Portugal, um senhor cujo nome não me lembro, que se recusou a pagar os impostos que serviam para comprar armamento no tempo da guerra. Ela como era pacifista recusou-se a pagar os impostos e foi preso sem luta.
Alguns dizem que este tipo de comportamentos podem levar a sociedade á anarquia, outros dizem que só ajuda a mostrar aos governantes que algumas das nossas leis são injustas e têm que ser mudadas...

Deixo em aberto a discussão...

9 comentários:

Carreira disse...

Excelentíssimo senhor,
Criei um blogue de opinião que agora estou a divulgar.
Se tiver interesse, não deixe de fazer uma visita:

http://www.cegueiralusa.blogspot.com/

Caso goste, por favor divulgue, pois pretende ser mais um espaço de discussão em busca de uma cidadania mais activa.
O meu muito obrigado.
Com os melhores cumprimentos,
José Carreira

Range-o-dente disse...

Já que me espicaçam digo que nada há a dizer.

Martin Luther King e Mahatma Ghandi foram pessoas excepcionais. A minha preferência vai para Ghandi. Luther King foi excepcional, Ghandi teve a possibilidade de o ser por muitos anos.

A comparação, como a faço, é um bocado forçada, quanto mais não seja porque Luther King foi arredado da luta por razões que todos conhecemos.

Há outro gajo que eu adoraria conhecer: Mandela.

baldassare disse...

Estou de acordo com o meu amigo Range: não há nada a dizer.
Parece que não vão ter circo, desta vez...

XandraFrô disse...

óóóó...vá lá, façam um esforço!!! ;-)

XandraFrô disse...

no natal temos que marcar um jantar...para andarmos todos ao estalo, ao vivo e a cores! era o máximo!!!

SmartiezZ disse...

Ai sandra!
Ia ser só luta!
Acho que acabávamos a noite num bar rasca a comer alcagoitas e a ouvir o baldassare e o Range a discutir o sexo dos anjos...
Ia ser o cumulo da diversão!
=)

XandraFrô disse...

não é sandra...é xandra...eu ía adorar esse jantar! alcagoitas não posso comer, mas umas bjekas marcham...sem alcoól!!! perfeeeeeeiiiita!

SmartiezZ disse...

pessego!!
peço imensa desculpa pelo engano!xD

XandraFrô disse...

ça fait rien, ma petite!