sábado, janeiro 06, 2007

TLEBS - o rosto político

O actual rosto político responsável pela TLEBS, Luís Capucha (director-geral da DGIDC - Direcção Geral da Inovação e Desenvolvimento Curricular), apareceu hoje (finalmente) pelas páginas do PÚBLICO a debitar a cartilha oficial.

Reconhece que a TLEBS tem deficiências (que bem que lhe fica - ainda que tardiamente - a humildade deste reconhecimento) e divulga os nomes que estarão a revê-la: o nosso conhecido e recém-empossado presidente da Associação de Professores de Línguística, João Costa, e o reputado professor de literatura e análise literária Vítor Aguiar e Silva.

A adaptação da TLEBS aos diferentes níveis de ensino deverá ser feita por Olívia Figueiredo e Vítor Manuel Oliveira e fica prometido debate público antes da homologação, em termos não definidos. Fica ainda a ideia genial de "sujeitar a TLEBS a um teste prático: saber se os alunos que aprenderam com a terminologia têm melhores resultados a Português", comparando os resultados dos exames do 9º e 12º anos (como se as turmas das escolas-piloto tivessem as mesmas condições que a generalidade das outras).

Só mais duas citações:
  • "A TLEBS pode ajudar a combater o insucesso." (pois, é isso e bolos...)
  • "Não queremos que a TLEBS seja um corpo estranho nas escolas." (já é um bocado tarde para isto...)
Por que será que não surpreende que o senhor seja (à imagem da sua - nossa - patroa) sociólogo e do ISCTE...

1 comentário:

Catarina disse...

Pois apesar de tudo, os tlebibãscontinuam a mexer. um deles, anónimo como manda o figurino, foi deixar-me no blog uma bomba, sob a forma de uma petição pró-tlébica que é um mimo e merece bem uma leitura: http://tlebs.professores.googlepages.com/home