segunda-feira, abril 16, 2007

Engenheiros

Já está há alguns dias nas ruas e nas TVs a campanha "Novas Oportunidades".
Até concordo com a mensagem da campanha: valorização da experiência, novas oportunidades de escolaridade, formação profissional etc...

Mas acho inaceitável os anúncios e cartazes onde parece que quem não acaba os "estudos" não tem hipótese na vida e é um falhado.
Em Portugal, acabar os "estudos" é fazer um curso universitário para já lhe poderem chamar doutor, engenheiro, senhor advogado... mesmo que isso não lhe sirva para nada na sua actividade profissional.

Deve continuar a estudar quem pensa trabalhar realmente como médico, professor, engenheiro, enfermeiro...
Quem assim não pensa, não deve ser pressionado ou censurado pela sociedade (e pelos pais).
"Quem vai para a escola técnica (ou profissional) é burro". Isto ouve-se muitas vezes.
Mas, quando já só houverem doutores e engenheiros, os poucos electricistas, canalizadores, pintores etc... poderão ganhar muito mais dinheiro do que alguns licenciados (sobretudo se estes estiverem desempregados...)

Todos devem procurar qualificações, até fora das universidades.
Respeito muito mais uma pessoa que se qualificou para uma profissão que vai exercer, do que um licenciado por uma universidade privada, que trabalha a lavar roupa na 5àSec.

Como mostra o Daniel Oliveira neste e neste post, não há problema nenhum em não ir para a universidade, ou em não a acabar. E isso não é sinal de estupidez ou de que a vida vai-lhe correr mal. Afinal, se até o Sócrates chegou a primeiro-ministro...

2 comentários:

Range-o-dente disse...

"não há problema nenhum em não ir para a universidade"

Convém, pelo menos, que se aprenda a ler, escrever e contar.

http://range-o-dente.blogspot.com/2007/04/escola-que-temos.html

.

baldassare disse...

Não me diga que acha que não ir para a universidade é um problema...
Se todos fossem para a universidade quem é que lhe coratva o cabelo? quem é que lhe fazia obras em casa? quem é que lhe arranjava o carro? quem é que arranjava os canos? a electrecidade? quem é que o atendia na repartição de finanças? quem é que lhe servia à mesa num restaurante? onde é que iria buscar as batatas para comer? no seu quintal? mas quem é que lhe vendia terra para o quintal? vender? o que é isso? Somos todos licenciados! Como? em universidades. Sem funcionários? sem cantina? sem livros? quem faz os livros? e o papel? não dá, porque todos somos licenciados! Viva!

Espero bem que essa não seja a sua opinião. E não é, de certeza.
As universidades SEMPRE FORAM para formar elites, e um país não pode ser 100% constituido de elites...
Por isso é que eu sou contra esta lógica da licenciatura como única maneira de "vencer na vida".