quinta-feira, julho 05, 2007

Teuria dus Numarus - O caso do professor Juvenal!

O professor Juvenal lecciona aulas de Contabilidade e Administração no ensino Secundário.
É um professor feliz, nos dias em que não anda infeliz...que são muitos...pelo menos ultimamente!
O Professor Juvenal lecciona (se calhar seria mesmo melhor dizer "dá aulas"...últimamente estas têm estado em época de saldos...) na Escola da Porcalhota de Baixo (obviamente que não posso dizer os nomes "à séria", senão inda levo cum proceso!), mas está lá porque tinha horário zero na Escola da Porcalhota de Cima! Até aqui parece uma história normal, certo?
Mas não é lá muito normal! No mínimo...ridicula!!! Não para o Professor Juvenal, claro, mas sim para toda esta rede educacional!
Ora, o Professor Juvenal lá teve que ir para a tal Escola da Porcalhota de Baixo (a falta de horário para ele na Escola da Porcalhota de Cima deve-se a problemas do foro diplomático que envolvem esta escola e a vila onde ela se insere...é muito complicado de explicar...fica para outra altura...outro post...), mas numa altura mais que péssima da vida dele...tinha muito recentemente perdido um familiar muito próximo...e tudo isto acumulado fez-lhe muito mal ao neurónio, como seria de esperar.
Mas mesmo assim, o Professor Juvenal reuniu todas as suas forças e lá foi, estóicamente, durante o primeiro período dar as suas aulas (não vale a pena referir a distância porque provavelmente muitos poderiam dizer "só? eu tenho que percorrer o triplo!"...)...MENTIRA...estoirou em Novembro! Sai um atestado médico de um mês...a juntar as férias do Natal, o Professor Juvenal regressou ao serviço no inicio do segundo período! Mas por pouco tempo...pois...ainda não andava lá muito bem...e...falhou o segundo dia de aulas...estão a ver mais ou menos o que aconteceu?...
A CHEFE DA ESCOLA DA PORCALHOTA DE BAIXO MANDOU LOGO O CASO PARA A JUNTA MÉDICA, lavando dali as suas mãos, como Pôncio Pilates.
E aqui é que começa o âmago desta questão...
A Junta Médica, instituição com o objectivo de ter a última palavra na avaliação psicológica e física do estado de saúde de qualquer professor, só mandou chamar o Professor Juvenal...estão sentados?...no final do segundo período! Mesminho no último dia de aulas! Ou seja, o Professor Juvenal fico em casa 3 meses, aos cuidados dos seus médicos particulares, e amigos.
E lá foi o Professor Juvenal para a Avenida Guerra Junqueiro, para mostrar todos os relatórios psicológicos que atestavam o seu estado de saúde. Quando o Professor Juvenal lá chegou e viu o estado dos "pobrezinhos" que lá estavam à espera (e esta espera era por ordem de chegada...tipo talho!) pensou "de certeza que não estou tão mal como estes infelizes! de certeza que me mandam dar aulas no inicio do terceiro período!". E o Professor, que até já estava melhor do seu neurónio, com vontade de sair de casa...mesmo tratando-se de ter que ir para a Escola da Porcalhota de Baixo..., lá esperou pela sua vez. Quando finalmente é chamado, depara-se com 3 "múmias", não embalsamadas, mas quase em estado de húmificação, que apenas lhe disseram o seguinte "Os seus relatórios?", e o Professor colocou o relatório da psiquiatra em cima da mesa! Mas...falatava a vinheta da psiquiatra! Ora, ser ou não ser eis a questão...branco é galinha o põe...eitar cedo e cedo erguer, tanto bate até que fura...o Profesor Juvenal veio para casa sem o pepel que normalmente dão lá na junta, no qual diz se se está ou não apto a retomar funções!
...vou parar aqui...vou fazer uma pausa...
Pensemos...então a Junta Médica para que serve? Para avaliar o relatório de outros médicos?...
...ok...Continuemos, "irmãos!"
Bem, o Professor Juvenal ficou de ir ter com a psiquiatra para a Senhora lhe colocar a vinheta no relatório. E a Junta Médica ainda disse ao Professor que ele é que tinha que marcar outra Junta Médica, como se de uma consulta se tratasse...ao que o Professor perguntou se não seria a DREL que tratava dessas coisas, o que na realidade é verdade.
Estava então o Professor Juvenal a terminar as férias da Páscoa, já com a esperança (embora forçada...) de ir trabalhar no terceiro período, quando...começam as aulas...passa a 1ª semana, a 2ª, a 3ª,..., a 5ª, quando 3 semanas antes do final do período (entretanto o professor Juvenal já estava a dar em doido de estar em casa, sem fazer népia...isto pode ser caricato, mas só quem passa por elas é que pode entender!) o Professor Juvenal recebe a cartinha a chamá-lo para nova Junta Médica...
...perguntem lá quando, amigos?...NO ÚLTIMO DIA DE AULAS DO TERCEIRO PERÍODO! Incrível não? Como as coisas se resolvem rapidamente neste país!
E lá vai o Professor Juvenal para a Jjunta Médica, com o bendito relatório, cheinho de vinhetas, no qual constava que o professor estava aptérrimo para exercer as suas funções (que era o que já dizia no anterior, no fim do 2º período).
O Professor chega lá, depara novamente com as 3 "múmias", elas pedem-lhe o relatório, lêm o relatório, e passam-lhe o tal papel para ele se apresentar ao serviço na 2ª feira seguinte.
Finalmente!
MORAL DA HISTÓRIA:
1º) É muito estranha...quer dizer, o P. Juvenal esteve o terceiro período todo em casa sem necessidade!
2º) O Estado esteve a pagar 2 ordenados, embora o do professor Juvenal fosse apenas 5/6 do usual (1/6 é retido), sem necessidade...porque é que não chamaram P. Juvenal antes do final do 3º período? Para não mandarem o outro professor embora? É por essas e por outras que os nossos aumentos estão congelados...
3º) E, afinal de contas, que grande poder de decisão tem a Junta Médica, que se baseou no relatório duma psiquiatra para atestar o stado de saúde do p. Juvenal?
...eu é melhor não dizer mais nada...e o outro pobrezinho morreu porque o mandaram dar aulas...mas não vou entrar em detalhes que já todos sabemos...Paz à sua alma.
Posto isto, acabei de saber, neste preciso momento, que uma colega minha foi à Junta Médica pedir a reforma (uma professora que se encontra na escola, não lecciona, mas faz serviço administrativo! está ao abrigo dum decreto não sei das quantas...), e estou a falar duma pessoa com 64 anos, e as "múmias" da junta Médica desancaram a pobrezinha, quase correram com ela a pontapé, teve inclusivamente que sair pela porta dos fundos, tal não era o estado de nervos em que ela estava...porque lhe negaram a reforma antecipada uma vez que...ELA NÃO TINHA FALTADO NO PRESENTE ANO LECTIVO!!!
...decididamente, eu não digo mais nada, vou fazer crochet, vou fazer a planificação das minhas ricas actividades para o meu maravilhoso projecto de teatro...e é asim que me vou mantendo feliz neste ensino, à beira mar plantado...mar? não! LODO!!!
Câmbio!
Desligo!

2 comentários:

rendadebilros disse...

Como é que foi? Resumindo, ficou o Prof Juvenal mais um período em casa por causa de uma vinheta? Se não fosse trágico...
E com 64 anos por não ter faltado? Se a senhora adivinhasse o que perpassa por aquelas mentes... faltava dia sim dia não... digo eu que sou lenta!... Ai credo que fiquei com o estômago "revoltado"!

Xandra Frô disse...

é verdade! isto é de dar mesmo a volta ao estômago, à tripa, a tudo!!