sábado, julho 07, 2007

A receita do sucesso nos exames de Matemática

Conhecidos que são os resultados dos exames, com Matemática a destacar-se pela positiva, a ministra comentou as causas do sucesso:
  • A começar "pelo esforço e o trabalho realizado pelos alunos, professores e escolas, designadamente na preparação dos alunos com a realização das provas intercalares", introduzidas para esta disciplina em 2005.
Temos, portanto, como primeiro factor, o facto de se ter passado a ensinar e treinar para os exames nas aulas e na máquina paralela ao longo de todo o ano. Meritório... Tanto que "a ministra admite alargar o modelo [provas intercalares] a outras disciplinas, nomeadamente às ciências, já a partir do próximo ano.
  • Em segundo lugar, Maria de Lurdes Rodrigues aponta o alargamento do tempo de realização do exame de Matemática de duas horas para duas horas e meia.
Contrariamente ao que a pedagogia familiar vem implementado há dezenas de anos: "ou aprendes ou comes", afinal passar fome compensa. É fundamental passar todos os exames para a hora do almoço!

Já a Associação de Professores de Matemática (APM) ainda que concordando com a ministra, refere, segundo o PÚBLICO,:
  • o facto de os alunos dos cursos tecnológicos, tradicionalmente com notas mais baixas, já não terem de fazer o exame a não ser que queiram candidatar-se ao superior."
Quando tudo o resto falha, nada como afastar os potenciais causadores de maus resultados do exame. As estatísticas agradecem... Como seria se os alunos dos cursos tecnológicos tivessem ido a exame? Estaríamos agora a carpir as mágoas do costume sobre a nossa tradicional incapacidade matemática e os trastes dos professores de matemática? Ah, se tudo fosse assim de resolução tão simples...

A Sociedade Portuguesa de Matemática tinha que vir estragar o quadro, tão bem compostinho:
  • "aponta a maior duração e acrescenta que o "exame foi mais simples".
E está encontrada a fórmula vencedora: ensinar para os exames (que se lixe o resto) exame à hora do almoço (se não aprendes, não comes), alunos com potenciais maus resultados afastados do exame (que eugénico...) e uma prova mais simples. E a ministra aparece a colher os louros do sucesso da sua política!

Generalize-se!

1 comentário:

Range-o-dente disse...

Há por aí alguma estatística sobre os dos 1 que foram "puxados" a 2 (em matemática)?

Deve ser por causa da objectividade.

.