sábado, novembro 10, 2007

"O Governo transfere anualmente para universidades norte-americanas, ao abrigo de acordos interessantes, mas com contrapartidas reduzidas, verbas superiores às que transfere para algumas universidades portuguesas"

António Sampaio da Nóvoa, reitor da Universidade de Lisboa, no Público

Isto é normal?
Com as propinas a aumentar cada vez mais, muitos alunos pensam duas vezes antes de entrar para a universidade. Outros, nem pensam duas vezes: não vão, porque não podem.
Já imaginaram a quantidade de capital humano que se está a desperdiçar quando se retringe o ensino superior aos que o podem pagar? A quantidade de bons engenheiros, médicos, economistas, e até dirigentes políticos que não o vão ser porque não podem pagar os custos da universidade... é que não são só as propinas: são os livros, o alojamento, os transportes, alimentação etc... já para não falar das pós-graduações, que com o Processo de Bolonha vão ser o mínimo exigido...

E em troca de quê? De um investimento em universidades americanas, para onde vão estudantes portugueses, que possivelmente vão lá ficar? Acordos internacionais podem ser uma boa aposta, mas o investimento num ensino superior economicamente acessível é essencial. Além disso, já temos relações com universidades de outros países através do programa Erasmus da UE... vale a pena tirar das universidades portuguesas para pagar universidades fora da UE?

1 comentário:

Range-o-dente disse...

http://sorumbatico.blogspot.com/2007/09/blogue-arquivo-humor-antigo-ano-de-1923_24.html

.